Sedã – o carro da família brasileira.

Sedã – o carro da família brasileira.

O veículo sedã é o preferido como carro da família, devido ao bom porta-malas, espaço interno, estabilidade na estrada e conforto exigido.

 

Relaciono abaixo os veículos da linha 3 volumes – sedã, suas fichas técnicas e uma breve análise.


Hyundai HB20S 1.0 Comfort Plus Turbo

  • Sedã - o carro da família brasileira.   Tanque: 50 litros
  • Porta-malas: 450 litros
  • Consumo Inmetro: classe A (11,9 na cidade e 15,2 na estrada)
  • Revenda: alta procura.
  • Rank nacional: 2° entre os sedãs compactos.
  • Preço médio na categoria: R$ 52.885,00 (versão recomendada Confort Plus). ,
  • Preço médio após 3 anos no mercado: veículo lançamento. Tendência de valorização por ser único.

 

Prós: Com 5 anos de garantia, a tranquilidade sobre a qualidade do projeto é certa.

Motor 3 cilindros, um turbo/intercooler moderno acoplado, leve e potente quando abastecido com etanol, 105 HP, 15 kgfm de torque a partir de 1500 rpm, bom desempenho, design inovador, aparenta ser um carro de categoria superior, bem equipado desde o básico.

Os números equivalem aos motores 1.6 de 10 anos atrás.

Para o uso urbano é eficiente e econômico.

Na prática, o conjunto faz o carro andar junto com sedãs maiores.

O câmbio de seis marchas é o diferencial do carro na faixa de preço.

Já vem com som Bluetooth, volante com botões do multimídia, alarme, vidros elétricos nas quatro portas, travamento central, ar-condicionado potente, estável, garante boa autonomia em viagens, baixo nível de ruído interno, ótimo espaço interno, porta-malas amplo para a família, preço competitivo para um sedã.

 

Contras: Alguns consumidores reclamam do engate em primeira marcha desse modelo com seis marchas.

Por observação, a ausência da direção elétrica, sensor de ré (já que o portas malas mais alto atrapalha a visão traseira), da chave com telecomando e dos faróis de neblina na versão de entrada foi mancada na proposta do produto.

E pedir mais R$ 4.500,00 pelas rodas de liga leve aro 15” e os opcionais faltantes é muito dinheiro envolvido e traz concorrentes como o Prisma LTZ e o Grand Siena Essence 1.6 para atrapalhar a corrida pelo mercado.

Sedã - o carro da família brasileira.


Chevrolet Prisma LT 1.4

Sedã - o carro da família brasileira.

 

  • Tanque: 54 litros
  • Porta-malas: 500 litros
  • Consumo Inmetro: 12,8 Km/l na cidade e 15,4 km/l na estrada (medidos com gasolina)
  • Revenda: boa procura
  • Rank nacional: 1° em vendas
  • Preço médio: R$ 53.690,00.
  • Preço médio após 3 anos no mercado: R$ 37.900,00 (perda na cotação de mercado em 31%, alta depreciação).

 

Prós: É o sedã campeão de vendas atualmente, mais em função do design agressivo, esteticamente atraente, assim como das campanhas que a Chevrolet sabe fazer muito bem para facilitar a aquisição.

O My link tem um forte apelo neste mercado, agora em sua versão II, vem com Android Car Play que espelha a tela do celular no painel.

O painel com mostradores digitais dá mais segurança às leituras e uma condução mais precisa.

A opção do moderníssimo Onstar, um sistema que torna visível pelo celular o que acontece com o carro, aumentando a segurança.

Trás os equipamentos mais usuais, como direção elétrica somente adotada agora em 2017.

Ar condicionado, vidros elétricos, travas centrais, rodas de liga leve e faróis de neblina no pacote superior.

A versão automática custa R$ 7.000,00 a mais, usando a tecnologia tradicional do conversor de torque e com seis marchas a frente.

 

Contras: As reclamações mais comuns, a traseira alta demais dificulta a visibilidade, o ar-condicionado barulhento, a suspensão dura, o uso de plásticos duros no acabamento interno deixa barulhos também e o consumo não é dos melhores.

A reprovação do Latim Ncap à segurança do modelo foi preocupante, chegou-se a pedir a retirada da linha de fabricação da família Onix/Prisma.

O motor do Chevrolet Prisma é uma receita requentada do antigo motor 1.4 do Corsa.

O uso de releituras de motores antigos pela Chevrolet tem sido um drama contínuo para as concessionárias e vendedores.

Para o consumidor é falta de respeito.

A Chevrolet promete os novos motores 3 cilindros para o segundo semestre de 2017.

O atendimento no pós-vendas da Chevrolet é famoso nos sites de reclamações.

 

Sedã - o carro da família brasileira.


Ford KA+ SEL 1.5

Sedã - o carro da família brasileira.

 

  • Tanque: 51 litros
  • Porta-malas: 445 litros
  • Consumo Inmetro: B (11,5/13,6) km/l
  • Revenda: boa procura
  • Rank nacional: 32° em vendas
  • Preço médio R$ 58.490,00.

 

Prós: A Ford disponibiliza diversos itens de série, até porque o segmento exige um ótimo sistema de som como o Sync Media da Ford, comodidade e conforto, direção elétrica progressiva, computador de bordo, o my Ford Dock, o motor sigma 1.5 rende máximos 110 HP, proporcionando um desempenho bom para o modelo e consumo compatível.

A versão SEL 1.5 trás o Advance track, controle anti-capotamento e assistência de partidas em rampas.

O acabamento é bom, suave ao torque, o desenho é moderno e eficiente. Este é o sedã do KA e cumpre bem o papel.

 

Contras: A Ford errou no preço deste veículo, concorre diretamente com produtos consagrados no mercado e que ofertam os mesmos componentes e opcionais.

O Chevrolet Prisma LT 1.4 e o Hyundai HB20S Turbo concorrem diretamente e são superior em design e porte.

Sedã - o carro da família brasileira.


Toyota Etios Sedã XS 1.5

Sedã - o carro da família brasileira.

 

 

  • Tanque: 45 litros
  • Porta-malas: 562 litros
  • Consumo Inmetro: A (12,2/13,8) km/l
  • Revenda: boa procura.
  • Rank nacional: 29°
  • Preço médio R$ 53.990,00.
  • Preço médio após 3 anos no mercado: R$ 33.800,00 (perda na cotação de mercado em 33%, alta depreciação).

 

Prós: O Etios Sedã seduz pela marca, a fama de confiabilidade, preço justo nos serviços.

O Etios Sedã tem o segundo melhor porta-malas do mercado, vem com ar-condicionado, direção elétrica progressiva, central multimidia Toyota Play, alarme, retrovisores, vidros e travas elétricas centrais, bom acabamento interno e construção robusta.

O motor rende 108 HP, responde bem as demandas de viagem e o consumo é competitivo.

O bom espaço interno, notável no banco traseiro, com o assoalho plano, transporta os passageiros com mais conforto.

 

Contras: O consumidor brasileiro valoriza muito o design, além de moderno, deve ter estilo, ser agradável e funcional.

O Etios vai contra este conceito, o desenho é de origem indiana, é desproporcional no sedã.

O carro classificado pela opinião pública como feio, ainda sofre com os instrumentos no centro do painel, a falta de regulagem de altura nos cintos de segurança, o volante só ajusta a altura entrega as dificuldades do modelo.

Só a fama da Toyota não é suficiente para erguer as vendas.

O preço cresceu muito, concorre com carros em melhor posição no mercado.

Sedã - o carro da família brasileira.


Nissan Versa SV 1.6

Sedã - o carro da família brasileira.

 

 

  • Tanque: 41 litros
  • Porta-malas: 460 litros
  • Consumo Inmetro: B (11,7/13,9) km/l
  • Manutenção: média de R$ 630,00 por revisão até 30.000 km
  • Revenda: boa procura
  • Rank nacional: 29° em vendas
  • Preço médio: R$ 55.990,00.
  • Preço médio após 3 anos no mercado: R$ 41.990,00.

 

Prós: veículo moderno, com direção elétrica progressiva, excelente sistema de som, bom espaço interno, porta-malas amplo, acabamento de alta qualidade, segurança garantida por ABS/EBD/Air Bag de última geração.

O motor 1.6 com 111 HP/15,6 kg de torque proporcionam um desempenho adequado, baixo nível de ruído interno.

A fama de veículo japonês repleto de tecnologias se encontra em versões mais avançadas e bem mais caras também.

A central multimídia é um tablet, a melhor dentre os carros de mesma categoria.

Mas desde o básico, os equipamentos necessários ao quotidiano estão presentes, como alarme, volante com botões de controle da multimídia, ar-condicionado, vidros e travas elétricas nas quatro portas.

É o sedã do March. Este modelo, fabricado na nova planta da Nissan no Rio de Janeiro, já está de acordo com as melhores ações de qualidade da montadora.

 

Contras: A falta de iluminação no porta-luvas e no porta-malas incomoda muita gente, a assistência técnica da Nissan recebe inúmeras reclamações.

No Reclame aqui, a Nissan não é recomendável como fornecedora.

O design do Versa não é uma unanimidade, com uma tendência a ser classificado como estranho ou feio.

Sedã - o carro da família brasileira.


Chevrolet Cobalt LTZ 1.8

Sedã - o carro da família brasileira.

 

  • Tanque: 54 litros
  • Porta-malas: 568 litros
  • Consumo Inmetro: Não classificado.
  • Manutenção:
  • Revenda: baixa procura pelo modelo.
  • Preço médio com o pack R7S: R$ 67.790,00.
  • Preço médio após 3 anos no mercado: R$ 43.000,00.

 

Prós: O porta-malas gigante de sedã pode ser a solução de transporte que uma família precisa para as férias.

O espaço interno causa conforto ao transportar pessoas de alta estatura.

A nova versão do My link usa o sistema android car e o apple Carplay, o Onstar, serviço de acionamento da assistência técnica direto do carro, painel digital e todos os equipamentos para uma condução segura e confortável são os destaques deste carro.

 

Contras: A Chevrolet manteve o motor de “monza”, 1.8 l com 106 hp/17,3 kgfm de torque.

É seguramente o motor mais velho do Brasil, com algumas interferências técnicas que deram um fôlego.

Pesado, barulhento e gastão, mata totalmente a proposta de um carro moderno.

Reclamações quanto a suspensão que não transmite segurança na estrada, o acabamento em plástico texturizado num carro de sessenta mil reais, o barulho interno excessivo, o visual “tiozão” e os problemas técnicos da primeira versão que derrubou os preços de revenda, o Chevrolet Cobalt continua complicado para a compra e revenda.

Sedã - o carro da família brasileira.


Fiat Grand Siena Essence

Sedã - o carro da família brasileira.

 

 

  • Tanque: 54 litros
  • Porta-malas: 540 litros
  • Consumo Inmetro: não classificado
  • Manutenção:
  • Revenda: boa procura
  • Rank nacional: 23° em vendas
  • Preço médio com Criative 1: R$ 59.130,00.
  • Preço médio após 3 anos no mercado: R$ 34.950,00 (perda na cotação de mercado em 37%, alta depreciação).

 

Prós: O Grand Siena Essence é um grande concorrente no mercado de sedã médio, por seu espaço interno, porta-malas de 540 litros, o terceiro maior do mercado, já de série com rodas de liga leve aro 16”, um excelente computador de bordo com dois totalizadores, um sistema de som com bluetooth e comandos no volante, alarme e sensor de ré completam a proposta.

Faróis Bi parábolas, faróis de neblina, abertura elétrica do porta-malas, suspensão macia e estável são os destaques da Fiat.

O motor do sedã Grand Siena Essence é de origem Chrysler, sincronizado por corrente, é confiável e de baixa manutenção.

O acabamento da Fiat é cuidadoso, esteticamente agradável, com baixo nível de ruído interno. Os frisos cromados nas portas e na tampa do porta-malas dão um charme extra.

 

Contras: O painel do Grand Siena não comporta um sistema multimídia com navegador, a única forma são os modelos comprados no mercado paralelo no formato de gaveta.

A Fiat, na soberba de estar na ponta do mercado por muito tempo, não ligou para este detalhe importante, não promoveu mudanças e perdeu vendas.

O motor com 117 HP não dá fôlego ao carro, os usuários mais experientes sentem falta de um mais forte, mais efetivo.

Desgaste prematuro de pastilhas, consumo alto, problemas na suspensão e na transmissão são relatados aos montes nas mídias sociais.

Este modelo sairá de linha em breve. Entra a nova geração de sedãs baseados no novo Fiat Tipo na Europa, com motores Firefly 1.0, 1.3 e os novos 1.8 de 138 HP.

Sedã - o carro da família brasileira.


VW Voyage Highline 1.6

Sedã - o carro da família brasileira.

 

  • Tanque: 55 litros
  • Porta-malas: 480 litros
  • Consumo Inmetro: B (10,7/13,7) km/l
  • Revenda: boa procura
  • Rank nacional: 21° em vendas
  • Preço médio Highline:  R$ 62.315,00. (Com módulo navegação)

 

Prós: O recente redesenho deixou o sedã VW Voyage alinhado com os demais veículos da linha mundial da VW, o que lhe rendeu o apelido de “jettinha”.

Rejuvenesceu, está nobre no visual e no bom acabamento.

A versão Highline é bem equipada e com a nova central multimídia Discover Media ficou moderna e competitiva.

O consumo é adequado para o motor 1.6, o porta-malas atende a uma família, tem boa estabilidade, tem história e fãs fanáticos.

A VW mantém a fama de fabricar veículos robustos, práticos para se dirigir, com bom valor de revenda e agora com bons preços de seguro.

 

Contras: Na nova versão tiraram o farol duplo, mantiveram a traseira sem graça, sem personalidade no desenho e o motor de 104 HP que ajuda, porém, é de concepção antiga.

A VW possui motor mais moderno como o TSi 1.0, com tecnologia recente que faria a diferença.

O preço é absurdo para um veículo que está há anos no mercado.

As vendas do VW Voyage refletem esta situação.

Sedã - o carro da família brasileira.


Chery Celer Sedan ACT 1.5 16V

Sedã - o carro da família brasileira.

 

  • Tanque: 48 litros
  • Porta-malas: 450 litros
  • Consumo Inmetro: B (11,2/12,9) km/l
  • Manutenção: média de R$ 520,00 cada revisão até 30.000km
  • Revenda: Procura por oportunidade.
  • Rank nacional: Não classificado
  • Preço médio R$ 36.990,00.
  • Preço médio após 3 anos no mercado: R$ 24.000,00 (perda na cotação de mercado em 35%, alta depreciação).

 

Prós: Este sedã é fabricado em Jacareí SP, com 35% de nacionalização das peças, está em progresso a contratação de fornecedores nacionais de peças.

O veículo segue a tendência chinesa de oferecer acessórios e opcionais, este já vem com ar condicionado, direção hidráulica, sensor de ré, rodas em liga leve, som bluetooth/usb, alarme, vidros elétricos nas quatro portas, travas centrais, chaves com telecomando, faróis bi parábolas com superfície complexa, faróis de neblina, luzes diurnas em led, motor 1.5 rendendo 113 HP com bloco de alumínio, suspensão bem acertada, confortável e estável.

O veículo está adaptado ao nosso combustível e ao piso ruim que predomina no país.

Os proprietários estão satisfeitos com o carro e a Chery Brasil é empresa recomendada pelo site Reclame aqui.

As promoções de preços aumentam o interesse de compra, porque reduz a depreciação forte do modelo.

 

Contras: Faltou a direção elétrica. O preconceito vigente no mercado brasileiro contra o produto chinês faz a revenda do Celer ser complicada.

Os poucos pontos de venda preocupa o consumidor.

A procura no mercado de seminovos é zero, devido a ausência de informações sobre o modelo no Brasil.

Agora com fábrica no Brasil talvez melhore esta situação.

Sedã - o carro da família brasileira.


Renault Logan Expression 1.6 SC-e

Sedã - o carro da família brasileira.

 

  • Tanque: 50 litros
  • Porta-malas: 510 litros
  • Consumo Inmetro: B (10,6/12,5)
  • Manutenção: média R$ 405,00 a cada 10.000 km
  • Revenda: boa procura
  • Rank nacional: 35° em vendas
  • Preço médio R$ 51.800,00.
  • Preço médio após 3 anos no mercado: R$ 39.500,00 (perda na cotação de mercado em 29%, normal).

 

Prós: A Renault caprichou no pacote de opcionais neste sedã, a nova central multimídia media nav é famosa por ser completa e de custo acessível.

O veículo proporciona conforto aos ocupantes por ter o entre-eixos longo, espaço de sobra para pernas compridas, o porta-malas com 510 litros atende aos desejos de uma família com cinco pessoas.

A suspensão redesenhada está mais confortável e estável.

O design externo ainda é muito agradável e destacado.

Sensor de estacionamento traseiro, Start&Stop (maior economia de combustível, ao desligar em curtas paradas) e alarme perimétrico, completam a ótima oferta da linha 2017.

O motor SC-e com 116 HP e 16 Kgfm de torque, deu novo fôlego ao Renault Logan, com o bloco do motor em alumínio, maior eficiência térmica e menor peso, duplo comando de válvulas com variador de fase.

Isso se traduz em economia e bom desempenho.

SC-e siginifica Smart Control Efficiency, o conceito utilizado para a engenharia dos novos motores da Renault.

 

Contras:  O acabamento da Renault sempre foi um problema, ruidoso, frágil e prejudica a estética interna.

A direção eletro-hidráulica é uma solução intermediária, perde em tecnologia e sofisticação para os lançamentos da Ford e Fiat.

Fora da região metropolitana de Curitiba, a Renault apresenta dificuldades no atendimento técnico.

Sedã - o carro da família brasileira.


Honda City DX 1.5

Sedã - o carro da família brasileira.

 

  • Tanque: 46 litros
  • Porta-malas: 485 + 51 sob o assoalho no porta-malas: 536 litros
  • Consumo Inmetro: Não classificado.
  • Manutenção: R$ 847,00 em média cada revisão até 30.000 km
  • Revenda: boa procura
  • Rank nacional: não classificado
  • Preço médio na versão DX: R$ 60.900,00.
  • Preço médio após 3 anos no mercado: R$ 45.900,00 (perda na cotação de mercado em 31%, alta depreciação).

 

Prós: O modelo é a porta de entrada para novos usuários de sedã da Honda Motors no Brasil.

Com motor 1.5 16V SOHC i-Vtec FlexOne, rende 116 HP com 15,5 Kgfm. Para o tamanho do veículo é modesto. Mas dá conta do recado em comparação aos seus competidores diretos.

Vem com os acessórios de uso imediato, vidros elétricos nas quatro portas, travas centrais a 15 km/h, som com bluetooth,

A segurança conta com airbags frontais e ABS, computador de bordo bem resolvido e bom acabamento visual.

Redesenhado para 2018, ficando muito semelhante ao Novo Honda Civic. A ideia é atrair novos consumidores para a marca.

A confiança na engenharia da Honda Motors, com relação a segurança e a construção do veículo, chama a atenção dos usuários.

Fora o status proporcionado pela marca Honda Motors, que é visível aqui.

 

Contras: Os usuários reclamam da suspensão, muito dura para o nosso piso esburacado.

Barulhos no painel, vibrações em palhetas de limpadores de para-brisa e ruídos nas partes plásticas denunciam que o projeto não foi bem adaptado a suportar as condições de rodagem no Brasil.

Peças e assistência com preços altos no segmento, também podem interferir nos valores de revenda no futuro.

Isso peca contra a imagem de excelência da Honda no Brasil.

Sedã - o carro da família brasileira.


Sedã é a sua escolha?

Conte para a gente nos comentários, qual é a sua escolha?

Veja aqui um post interessante sobre veículos novos, você sabe quais problemas podem acontecer na compra? Aqui.

Conte conosco na HS Consorcios, vamos conversar sobre a sua próxima troca de carro?

Não deixe para a última hora.

 

Vamos conversar sobre o HS consorcios para você.

Deixe a sua mensagem clicando na figura abaixo:


Sedã - o carro da família brasileira.

Comente este post

Posts relacionados

Inscreva-se em nossa lista de contatos
error: Content is protected !!